Evolução, Vida e Termodinâmica

| Ler Comentários

"As chances contrárias a um Universo como o nosso ter emergido de algo como o Big-Bang são enormes. Penso que há claramente implicações religiosas." Stephen Hawking, Professor de Matemática da Universidade de Cambridge.

"Para um microplasma, que tem diâmetro de cerca de 0,0002mm, calcula-se a probabilidade [de auto-organização pelas leis da Termodinâmica] em 0,0000...(5 bilhões de zeros)...01", Ariel Roth, Mestre em Biologia e Doutor em Zoologia pela Universidade de Michigan, EUA.

Calor é a energia em sua forma mais simples: transferência de um corpo para outro da agitação dos átomos e moléculas que os compõem; dizemos que "entropia", ou a desordem em um sistema é diretamente proporcional ao calor que ele recebe. Trabalho é a "energia ordenada", isto é, resultado da ação de forças sobre um corpo. As leis a seguir são estritamente válidas para os sistemas isolados (sem fluxo de matéria nem de energia), ou fechados (sem fluxo de matéria mas com eventual fluxo de energia).

A Primeira Lei da Termodinâmica expressa a lei universal de que a energia se conserva, podendo apenas fluir de um sistema para outro caso esses não sejam isolados:

- Calor que entra ou sai do sistema

- Variação da energia interna do sistema (energia que permanece no sistema)

- Trabalho realizado ou sofrido pelo sistema

Então,
=-

A Segunda Lei da Termodinâmica decorre da evidência de que é impossível transformar calor integralmente em trabalho, uma vez que, no limite, a energia será dissipada pelos átomos da máquina que a transforma em trabalho. Mas é possível transformar trabalho totalmente em calor, de tal maneira que em um sistema fechado, a "entropia" ou desordem aumenta constantemente ou, no limite, permanece constante; abaixo representamos o caso em qu eo equilibrio é atingido com a desordem total, ou seja, o caso em que o trabalho tende a ZERO:

Assim, todos os sistemas no universo tendem ao equilíbrio; por isso a Física "profetiza" que o fim de tudo é a poeira cósmica, o equilíbrio final, se o Universo estiver, de fato, em constante expansão como diz a moderna Astronomia.

Notícias!

The Universe Is Runnig Down!

Heat Death Headed Our Way!

Disorder Is The Order Of The Day!

(Kaufman)

No entanto os sistemas abertos (ao fluxo de energia e de matéria) da Biologia são absolutamente conflitantes com essa idéia da Física; a não apenas a Biologia como disciplina do conhecimento humano, mas a Natureza Biológica em si: vemos a vida ao nosso redor tendendo a uma auto-organização cada vez mais diversificada, heterogênea e longe do equilíbrio. "A tendência ao caos em nível universal, contrasta, de certa forma, com a complexidade do mundo biológico - moléculas de todo tipo se juntam para formar células, células se juntam para formar organismos, organismos se juntam para formar ecossistemas, economias, sociedades" (Kaufman).

Assim é que acredito que, longe de ser uma LEI da natureza, a evolução das espécies, desde que seu pai, Darwin, lançou seus fundamentos, passando pelas inúmeras reformulações que até hoje tem passado, precisa ter seus fundamentos físicos reanalisados. Se essa tendência da natureza à auto-organização é, de fato, apenas uma lei, deve poder ser explicada também pelas leis da Física... No entanto, os físicos não têm essa resposta ainda. Não existe uma explicação baseada nas exatas leis físicas que descreva o desenvolvimento da ordem no universo a partir do caos, nos sistemas abertos. Assumir sua autenticidade com tanta convicção como tem acontecido entre a mídia e mesmo no meio acedêmico, parece-me ser preciptação eufórica de uma tentativa adolescente de emancipação de Deus.

Darwin dizia que "o homem pode ser desculpado por sentir algum orgulho de ter subido, ainda que não por seus próprios esforços, ao topo da escala orgânica; e o fato de ter subido assim, em vez de ter sido primitivamente colocado lá, pode dar-lhe esperanças de ter um destino ainda mais alto em um futuro distante" (Charles Darwin, A descendência do Homem, www.gutenbergnet), numa evidente refutação da fé na Criação Divina. No entanto, esse ponto de vista é particular e parcial. Sendo Deus a essência da existência, a Auto-Consciência Universal (Goswami), reivindicar a emancipação dEle é reivindicar a não-existência... E isso, pela própria lógica natural em que estamos inseridos (a de que a vida busca a vida, a ordem gera ordem e não desordem), é absurdo no mais elevado grau.

Restam duas opções aos seres vivos: existir ou não existir, ser ou não ser... Eis a questão.

Bibliografia

Stuart Kaufman, At Home in the Universe - The Search for the Laws of Self-Organization and Complexity, Oxford University Press, 1995).

Amit Goswami, O Universo Auto-Consciente (faltam-me temporariamente demais dados bibliográficos).

Ariel Roth, Origens - Relacionando a Ciência com a Bíblia , Casa Publicadora Brasileira, 2001.

Fórum - Comentários dos leitores:





Principal | Atividades | Fórum | Aos Alunos
Interagindo | Aspectos  Filosóficos | Noticias
E-mail:  flavioscunha@hotmail.com